Posts Tagged ‘ política ’

As redes e a anti rede

papafranciscoAs redes sociais, notadamente o facebook tem mostrado uma nova faceta das pessoas. Como elas se preocupam com o que não são. Isso mesmo! É como se fosse a anti matéria. Um papa é eleito, dezenas de pessoas que não são católicas, não frequentam a missa, tem profundas discordâncias com a doutrina cristã, imediatamente se manifestam. Levantam detalhes da vida do escolhido, tentam influenciar os que são católicos com suas opiniões, completamente desprovidas de sentido.  Será que isso leva a algum lugar ou só faz exacerbar as diferenças?

O mesmo acontece quando um político faz alguma coisa. Seus opositores tratam de dizer o que ele deveria ter feito ou como deveria ter pensado ou decidido. Ora, as lógicas são completamente diferentes. No recente caso do Deputado Federal Feliciano,  do PSC de São Paulo aconteceu o mesmo. Um completo desconhecido do grande público virou desafeto numero um, com direito a campanha nas ruas exigindo a sua renúncia a Comissão de Direitos Humanos e Minorias.Feliciano

Estamos verificando que ao contrario dos grupos de interesse criados no começo da Internet temos agora grupos de agitação e protesto. É uma outra demonstração que as pessoas não se sentem mais representadas pelos parlamentares. Vereadores, deputados estaduais e federais terão que conviver com esse novos caras-pintadas.

O autoritarismo o Detran e a Lei Seca

logo_detran_rioQuando iniciamos a modernização do Estado em 1999 poucas pessoas no governo sabiam do que se tratava. Apoiado pela Faperj que me concedeu alguns bolsistas, trabalhamos durante meses todos os dias do ano para produzir o que eu chamava de Presença do Estado na Internet. A máxima era democratizar a informação e prestar serviços ao cidadão. De cara pegamos os maiores “abacaxis” do governo. O Detran, a Cedae e a Polícia Civil. Neste artigo vou lembrar uma parte do que aconteceu no Detran apenas.

Palco de eternas denúncias de mau atendimento e corrupção a primeira iniciativa era, prestar serviços pela Internet. Começaríamos pelos mais óbvios, informações confiáveis sobre temas em que múltiplas respostas eram dadas, nas várias áreas da empresa. A equipe de comunicação do Detran, liderada à época pela jornalista Ilka Telles, fez o trabalho de casa e após intensas reuniões conseguiu dar respostas únicas ao cidadão.

A segunda etapa era muito mais complicada pois envolvia o acesso ao banco de dados que seria utilizado para fornecer pela Internet respostas as consultas da população sobre número de pontos na carteira, marcação de vistoria e outros serviços que eram atendidos pelo call center do orgão, naquela época um dos maiores da América com mais de 600 posições de atendimento, se não me engano.

O pessoal envolvido colocou todas as dificuldades imagináveis para que o processo tivessse êxito. Só mesmo a total obstinação fez com que colocássemos o sistema no ar ainda no primeiro semestre de 1999 .

Faço o preambulo para explicar como as coisas evoluiram a partir de então. Logo a seguir iniciamos um projeto que permitiria a consulta pelo celular à mesma base de dados. Note que estamos falando de celulares de 1999, não de tablets ou Ipads. O objetivo inicial era permitir uma evolução para o que denominamos na época uma blitz inteligente. Ou seja de posse da placa do carro era possível saber tudo sobre o mesmo, assim não seria necessário parar todos os carros ou escolher aleatóriamente os que seriam parados. Só os que efetivamente estivessem em débito.

Discutíamos tambem a necessidade de adaptação das leis uma vez que não seria necessário portar o documento físico, nem a carteira de motorista nem o certificado do veículo. A evolução dos sistemas permitiria que, a partir de qualquer dado do cidadão, como por exemplo sua identidade ou número de CPF saber se o mesmo está com a carteira de habilitação em dia ou não. Bem como saber se o veículo tem multas, se pagou IPVA, o endereço do registro, o número do motor.

A interligação com outrs bases estaduais possibilita saber se o cidadão tem alguma empresa no seu nome, qual a atividade, o endereço e quanto fatura, se está em dia com os impostos ou não. É possível tambem saber se houve algum envolvimento criminoso, se foi denúnciado pelo vizinho ou se bateu na mulher.

Percebemos na mesma hora o poder e o perigo do cruzamento dessas informações na mão do Estado. Era fundamental que houvesse um sistema de controle em mãos diferentes das dos agentes oficiais.

Bem para resumir a história. A parte da evolução dos sistemas continuou e hoje é possível fazer a blitz da lei seca sabendo todos os dados do motorista. O que continua retrógrado e autoritário é o resto, ou seja você continua obrigado a estar com sua carteira “física” em mãos apesar da “autoridade” ter a possibilidade de consultar via qualquer celular cadastrado no sistema e confirmar se ela está válida bem como a situação do seu veículo.

Discutíamos tambem a necessidade de haver um coletor de impostos on line. Ou seja se você está em débito saindo numa véspera de feriadão e não pode pagar no banco, pagaria na própria blitz, num terminal do banco que faz a arrecadação estadual, via Internet,  na hora, sem reboques ou outras penalizações

 

Em maio deste ano foi inaugurado a Fiscalização Eletrônica Circulante (FEC).

De acordo com o site do Detran “A FEC funciona dessa forma: com o comboio em circulação, a viatura equipada com o sistema de leitura de placas vai registrando, em questão de segundos, os veículos em situação irregular, o que é imediatamente comunicado, via rádio, aos PMs das duas motos. Estes, então, param os carros em tais condições, que são abordados em seguida por agentes do departamento, colocados no reboque e conduzidos para um dos depósitos do DETRAN”

Vereador 2012 Política

anunciodemopartUma campanha a vereador em São Paulo capital, para ser vitoriosa precisa de recursos. Vou falar do que temos verificado nos últimos anos.
O número de votos depende do partido que você se filiou. O coeficiente eleitoral na capital é alto e você tem então duas perspectivas. Ou escolhe uma legenda que já tenha muitos votos e compete para ser um dos mais votados do seu partido ou você escolhe um partido pequeno onde vai ser necessário um maior número de votos para o candidato, já que a legenda não terá tantos votos.( se você quiser explico com mais detalhes este ponto)
Assim vamos supor que você vá concorrer por um partido “grande” e que sua tarefa maior será chegar entre os primeiros do seu partido
A Câmara municipal de São Paulo tem hoje 56 deputados, as maiores bancadas são do PT, PSDB, PSD depois há outro grupo importante formado por PV,PR,DEM e PTB. Esta fase de escolha partidária já está encerrada uma vez que a filiação tem que ser feita com 1 ano antes da data do pleito, que este ano será dia 7 de outubro.
Como são muitos candidatos não há visibilidade nas campanhas, ou seja o tempo de televisão é escasso e mal dá para dizer o nome, o número e um slogan pequeno e forte. Então cada um tem que criar sua própria mídia. Hoje em dia estamos falando em fazer um site, usar o facebook, fazer um vídeo e tentar fazer ele bombar na Internet para repercutir na mídia tradicional, televisão, rádios, jornais e no boca a boca. Mandar SMS, pedir aos amigos para gravar um vídeo de apoio a sua candidatura, controlar e divulgar a sua agenda política. Fazer pesquisas on line tambem, elas ajudam na escolha dos temas a serem abordados nos seus discursos. A foto tem que ser representativa e é fundamental.
O resto é o tradicional, reuniões na casa de amigos nas quais vai falar quem é você e por que quer ser candidato. Falar de suas idéias e ideais, contar sua história de vida, emocionar as pessoas e se emocionar ao receber o apoio e depoimentos de seus amigos.
Adesivar carros e rodar pela cidade mostrando na sua vizinhança que sua candidatura é forte. Arranjar um carro de som e falar o seu nome e se tiver condição fazer um jingle que grude na cabeça dos eleitores, o famosos chiclete, que você se pega cantando ou assoviando mesmo sem se dar conta.
A organização de núcleos é muito importante. Mesmo que você não tenha pessoas para ocupar todos os “cargos” é preciso pensar no núcleo mulher, minorias, jovem, meio ambiente, cultura, segurança, transporte ou outros que você crie em função da sua vivência. Eles podem ser tambem geográficos ou por área de interesse. Você pode constituir um grupo “turma da natação” ou Itaquera se isto for importante na sua vida.
No mais é acordar cedo, ir para os locais de grande afluência de pessoas, se apresentar, cumprimentar todos distribuir seu “santinho” com seu número, partido, foto e alguma coisa de sua atuação. É importante ir acompanhado de alguns amigos.
Para fazer isso que descrevi acima durante os dias de pré campanha e campanha você vai gastar uns 150.000,00 em recursos próprios ou em contribuição de amigos ou do partido. Exemplificando você pode ter amigos que topem ceder o carro para você adesivar. Eles podem topar rodar sem que você pague a gasolina, mas é um recurso utilizado. Quem cede a casa para fazer uma reunião tambem está contribuindo para a campanha, se a pessoa pagar os refrigerantes então é uma contribuiçao maior.
A Demopart está preparada para fazer uma proposta para sua campanha que se encarregue na parte de tecnologia.
Grande abraço e sucesso.
Antonio Carlos Gomes Siqueira
www.demopart.com.br



2028 o ano que o Brasil irá a guerra Parte 4

Map picture

   

A disputa por minerais raros é um dos fatores que elevarão o tom do comércio internacional.  O número de países que dependem 100% da importação de terras raras é grande e inclui os EEUU. Foi divulgado no final do ano passado que o Brasil tem reservas da mesma ordem de grandeza da China, atualmente maior exportadora deste grupo de minerais. Onde estão estas reservas no Brasil? Em Pitinga AM, a 320 Km de Manaus, no município de Presidente Figueiredo, em área indígena Waimiri Atroari  e em Roraima numa área chamada Repartimento. Todas as duas áreas são de difícil acesso mas Pitinga  tem um bom desenvolvimento e já tem exploração mineral. Embora sejam alvos relativamente mais fáceis de serem atingidos o problema é como dominar e ocupar qualquer área naquela região. Não há chance e não haverá nestes próximos 50 anos de qualquer nação estrangeira dominar realmente qualquer área na parte brasileira da Amazônia. As doenças tropicais, a malária, a febre amarela farão um tormento da vida de qualquer um que se aventure por lá. Como já aconteceu no passado. A Rússia tem o seu general inverno nós temos o nosso general Selva. Naquela região não sobrevive o mais forte.

Para que servem os minerais que a região tem em abundância?  As pesquisas atuais indicam que eles serão utilizados como isolantes nas altas temperaturas e que entrarão na solução das novas fontes portáteis de energia que abastecerão os carros, os smartphones, os computadores, os tablets e dezenas de outras quinquilharias que estão sendo desenvolvidas e que necessitam de fontes recarregáveis de energia elétrica. Então ter acesso a esses materiais é vital.

Outra questão que se mostra importante é a questão do emprego nos países desenvolvidos. Os níveis de desemprego estão atingindo níveis alarmantes especialmente entre os mais jovens. Todos sabem o perigo que existe em conviver com uma população jovem desempregada, assim os governantes destes países estão revertendo uma idéia que parecia muito boa.  Nos últimos anos os detentores de tecnologia ficaram com o “filet” na fabricação de novos aparelhos. Ou seja cabia a eles o projeto, a concepção, o financiamento, o seguro, o marketing, a logística, a distribuição  e dezenas de outras atividades nobres ficando as fábricas poluentes ao encargo das nações em desenvolvimento, como a China ou o Brasil. Agora todos estão tratando de retomar as rédeas e trazer as fábricas de volta entre outros motivos para criar empregos. Ora se as fábricas retornarão o acesso a matéria prima e a legislação ambiental serão os problemas a serem resolvidos.

Para ser mais explícito quanto a tempos  e andamentos da questão. Julgamos que entre 2012 e 2020 haverá uma articulação a nível sul-americano para recuperação da soberania sobre recursos naturais, minerais estratégicos, entre outras coisas. A articulação se dará especialmente entre Brasil, Bolívia, Venezuela, Peru e Colômbia. Embora o México já tenha se dado conta de que o seu tratado bilateral deu errado , terá dificuldades de articulação com este bloco. Após a fase inicial de conceituação e conscientização haverá uma etapa de formação de preços de minerais estratégicos e cotas de exportação.  A pressão internacional já será forte nesta etapa. Serão feitas tentativas de acordo bilaterais privilegiados para todos os produtores, caberá outra vez ao Itamarati e ao Ministério da Defesa conduzir a solução da questão tendo em vista os objetivos maiores e não a vantagens imediatas. Entre estas vantagens estarão incluídos pacotes de equipamento militar de ultima geração, será difícil resistir.

2028 o ano que o Brasil irá a guerra. Parte3

USGSfotoNos dois capítulos anteriores falamos da necessidade do Brasil proteger suas descobertas no pré-sal. Objetivo este bem delimitado e claro. Nesta terceira parte vamos tratar de um assunto muito mais complexo.  Os recursos minerais existentes no Brasil e na América Latina e a dependência mundial destes recursos.

O assunto é extremamente mais complexo pois envolve outros atores em relação a demanda por petróleo. Em princípio China e Estados Unidos tem  grande dependência de recursos minerais embora de forma distinta. Assim o grupo de interessados cresce para China, Estados Unidos, Japão e União Europeia. Envolve também satélites, avaliações usando parâmetros com informações obtidas de forma quase secreta e divulgadas de acordo com  o interesse imediato.  Neste caso estamos falando das “Terras Raras”.

O US Geological Survey (USGS – sigla do serviço americano de geologia), indicou em encontro mundial realizado em 2011, o Brasil como um dos prováveis detentores de grandes reservas de “Terras Raras”. Reservas tão grandes que se nivelariam as reservas chinesas, as maiores do mundo até agora. Esta informação aparece quase que simultaneamente a posição chinesa de limitar as exportações destes recursos minerais para o Japão. No mesmo instante os Estados Unidos e o Japão abriram questão na OMC contestando a decisão chinesa.

Embora esta guerra seja mais preventiva do que prática, outras estão sendo travadas neste momento e permanecerão em destaque nos próximos anos. Estamos falando do níquel com suas incontáveis aplicações nas baterias de todo tipo de aparelho desenvolvido ultimamente que tem por fundo filosófico o antropocentrismo ególatra ou seja o IqualquerCoisa. Estes aparelhos tem um calcanhar de aquiles nas suas baterias. Só o modismo incontrolado pode explicar o sucesso de um aparelho que não resiste a 48 horas sem fonte de suprimento ou pior, 10 horas de funcionamento ininterrupto. Nada mais inútil que um laptop ou celular sem bateria.

A guerra declarada é por fontes de energia recarregáveis e portáteis que tenham uma autonomia muito maior do que as atuais, digamos que se atinjam 30 dias. Estamos falando portanto de um aumento dramático no rendimento dos atuais aparelhos. Aparentemente os minerais dos quais os EEUU tem dependência integral estariam entre os que são necessários para resposta do problema. A Dr. Monica Bruckmann faz uma brilhante análise da matéria no estudo RECURSOS NATURAIS E A GEOPOLÍTICA DA INTEGRAÇÃO SUL-AMERICANA publicado pelo Ipea em 2011 Resumimos aqui os minerais que os EEUU tem dependência integral

arsênico; asbesto; bauxita;césio;fluorita;grafita ,índio;manganês; mica;nióbio (ou colômbio); cristal de quartzo;terras raras; rubídio; estrôncio;tântalo; tálio; tório; vanádio; lítio;gálio; pedras preciosas

Onde estariam as reservas acima citadas de “Terras Raras”? No estado do Amazonas e Roraima, na Amazônia brasileira. Dispensável se torna falar nas dezenas de ONG de fachada que infestam aquela região e os inúmeros protetores de povos indígenas que estimulam o separatismo e o denuncismo. Então teríamos necessidade de proteger estas reservas já apontadas além de inúmeras outras que serão reveladas na medida do interesse dos detentores da informação. Como proteger alvos em Roraima e na Amazônia?  Neste caso diferentemente do que apontamos no pré-sal, os alvos seriam mais fáceis de serem atingidos…………………………………………..Fim da parte III

Uma resposta da Televisão via Net a Internet

NowBlog1Demorou mas chegou. O início do entendimento do que será a nova forma de ver televisão. A Net lançou o Now  que permite ver o programa desejado a qualquer hora, para quem tem o serviço digital

Impressiona como demorou. A principal diferença conceitual entre serviços antigos e novos é a assincronicidade. Ou seja o telefone é sincrono, você para falar com a outra pessoa precisa que ela esteja disponível (falar com secretária eletrônica não vale). O email é assíncrono. Você manda e o interessado pega a hora que quiser ou puder. Isto é uma política, ou um modelo conceitual. As coisas para terem sucesso hoje precisam seguir este modelo conceitual. Existem outros preceitos. A colaboratividade é um deles.A televisão até agora era síncrona, a Internet assíncrona.

Assim deve ser a televisão. Nossos horários estão cada vez mais malucos, trabalhamos todas as horas, em qualquer lugar. Por que então tenho que ficar na frente de um aparelho em determinado horário?

Note que o livro, o produto mais bem sucedido lançado até hoje é atemporal. Você pode ler a hora que quiser, quanto tempo desejar. Pode parar, voltar, reler. E tem uma portabilidade inigualável.

A falta de comprensão da importância desta novidade é que espanta. Não há na página da Net nada que fale do evento. Deve ser como  o registro de nascimento de Albert Einstein, nada de mais.

Secretários de Fazenda na contra mão da história

moedas_real_estadao_gdeReunidos no Rio de Janeiro numa reunião do Confaz Conselho Nacional de Política Fazendária Secretários Estaduais de Fazenda, assinaram um protocolo que altera o regime de tributação nas vendas pela internet e por meio de telemarketing

A decisão foi aprovada em reunião ordinária do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) pelos estados do Acre, Amapá, Ceará, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Pará, Espírito Santo, de Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Pernambuco, Roraima, Rondônia, Sergipe, da Paraíba, Bahia, além do Distrito Federal.

Alegam todos os signatários que estão tendo perdas substanciais com a atual legislação já que a tributação é na origem e não no destino. Assim São Paulo e o Rio de Janeiro , que obviamente não assinaram o protocolo, estariam sendo beneficiados.

Todos estes estados, que agora reclamam, nunca se manifestaram quanto a questão da tributação existente em relação ao petróleo, onde o Rio de Janeiro, grande produtor, sempre teve perdas enormes, por ser exceção na política de tributação. Tambem fizeram uma verdadeira “corrente contra” na questão de distribuição de recursos do pré-sal.

No caso de vendas pela internet e pelo telemarketing o objetivo maior é diminuir o preço dos produtos finais e não onerar o consumidor com um imposto a mais ou uma divisão pouco clara.

É impressionante como pretendem, sem respaldo jurídico neste caso, fazer valer uma mudança pontual no sistema tributário.

O caso Bolsonaro

outdoor-desarmeTenho acompanhado as reações a respeito da entrevista do Deputado Federal pelo Rio de Janeiro, do Partido Progressista, PP ao programa de televisão Custe o Que Custar mais conhecido como CQC.

De início, acho que ninguem sobrevive aos comentários da turma do CQC. Eles são rápidos, inteligentes, irônicos e especialmente treinados para fazer qualquer um fazer um papel ridículo. Imaginem quando pegam um tipo como Bolsonaro!

Este Deputado Federal, no seu sexto mandato consecutivo começou  a aparecer quando questionou a baixa remuneração dos militares em 1986. De lá para cá colecionou uma enorme quantidade de processos. Continua a defender os aumentos aos militares, incluindo policiais bombeiros em geral. Sua língua ferina e desabrida tem dado muitas dores de cabeça. É da reserva do Exército, tendo se reformado como capitão. No seu discurso de elogio ao vice-presidente José Alencar falou de um projeto apresentado pelo mesmo sobre doenças contagiantes (sic).

Em 2010 foi eleito com 120.646 votos, dos quais  70% na capital ou seja, está longe de ser um iniciante. Os comentários postados na Internet,nas matérias sobre suas declarações confirmam que há um grande número de fans de suas posições.

Querer cassar um deputado pelas suas declarações por mais equivocadas que sejam é que me parece um despropósito. Existe um regulamento na Camara e todo um ritual para se defenestrar alguem inconveniente. Vez por outra se escolhe um boi de piranha para ser cassado, mas o ritual tem que ser seguido

Comissão do Senado aprova sistema proporcional com lista fechada

SenadoComposicaoHá avanços e há retrocessos, num processo democrático. O que acabamos de ver foi um grande retrocesso. Nossa realidade partidária mostra que alguns políticos são responsáveis por tocar a máquina do partido. Na verdade poucos se interessam pela luta interna. Exceção feita ao PT, onde as brigas internas rendem desaforos e rachas, nos demais partidos tudo é resolvido por três ou quatro dirigentes.

Como será agora? Os deputados vão se dedicar  ao dia dia do partido? Haverá uma abertura para filiação em massa?

Analizando os maiores partidos do país vemos que o PMDB é tocado pelos mesmo dirigentes que se revezam na adminstração. O número de filiados oficiais é ínfinitamente menor que seus votos nas urnas.

O PT tem suas eleições internas e a composição de seus dirigentes é feita pelos votos que cada corrente obtem, mas eles se dedicaram a um grande cadastro de militantes e nas suas eleições internas participam um numero significativo de inscritos. Alem disso estão no poder há 8 anos o que favorece qualquer chamamento de militantes.

No PSDB até a escolha do candidato a presidente é feita em mesa de restaurante. Ou seja, cabem numa “Kombi” os participantes da decisões.

O DEM, em processo falimentar, tem suas cabeças pensantes reduzidas a pouquíssmos e mesmo assim contestados quando a sua capacidade de pensar.

A análise dos maiores partidos  não merece seguir .

Note-se que o voto neste caso não é obrigatório. Ou seja na prática estamos estabelecendo duas novas realidades. A filiação interna e o voto facultativo.

Um facebook profissional

anunciodemopartA importância das redes sociais já ficou demonstrada no sucesso do facebook , orkut e outros menos conhecidos. Eles são gratuitos e por isso mesmo tem uma série de limitações. Um político precisa de uma agenda de endereços e aniversários de muitas pessoas. Se verificarmos o número de votos necessários, à eleição de um deputado federal veremos que ultrapassa os 70.000 nos grandes estados. Rio de Janeiro, São Paulo, Minas, Rio Grande do Sul , Paraná são alguns exemplos onde estes valores são exigidos. Sistemas profissionais então, são demandas evidentes. É necessário que um político mantenha a sua base de eleitores, seu maior patrimônio, permanentemente informadas de suas ações. É muito importante que crie uma base de colaboração, para poder ouvir as demandas e sugestões.
A falta de compreensão da atividade parlamentar no Brasil gera uma série de críticas infundadas. A principal diz respeito ao número de dias que um parlamentar trabalha.
Quem está envolvido na atividade política, trabalha todos os dias. Não é verdade que o trabalho se resume aos 3 dias em Brasília.
Os valores de remuneração são outro ponto de críticas. Mesmo com o atual aumento, o valor está longe de ser nababesco.
A Demopart desenvolveu ao longo dos últimos 10 anos um Sistema Estratégico de Relacionamento que administra os contatos e a base de conhecimento de cada parlamentar. Ela é tratada com todo o sigilo necessário, mas permite que a adminstração se dê em bases profissionais. O que nos espanta é a falta de atenção de alguns com seus meios de comunicação. Tente mandar emails para os deputados e senadores e veja quantos estão preparados para responder corretamente. Isto sim é urgente. Uma modernização da forma de relacionamento com os eleitores!